Bons hábitos e um estilo de vida saudável melhoram as taxas de mortalidade dos homens
28/07/2023 18:54 em SAÚDE

A maioria das causas de morte nos homens estão relacionadas ao estilo de vida e aos hábitos que praticam.

 

Em todo o mundo, os homens têm as taxas mais altas de morbidade e mortalidade em comparação com as mulheres. Segundo a Organização Pan-Americana da Saúde, os homens têm maior probabilidade de morrer antes de completar os 70 anos, já que 52% dos falecimentos por enfermidades não transmissíveis no mundo são de homens, com problemas como diabetes e outras doenças crônicas. Além disso, a probabilidade de morrer por cardiopatia isquêmica é 75% maior nos homens do que nas mulheres.  

 

No entanto, a boa notícia é que a maioria dessas causas de morte nos homens estão relacionadas ao estilo de vida e aos hábitos que praticam. E isso é possível mudar e melhorar apenas com a disposição e a motivação corretas. Por exemplo, sabe-se que a obesidade e o diabetes estão diretamente ligados ao tabagismo, à má alimentação, ao excesso de consumo de álcool e à falta de exercício. Adotar bons hábitos como a temperança, ter uma alimentação saudável, realizar atividade física ou praticar algum esporte diminuirá o risco de padecer dessas enfermidades e melhorará, notavelmente, a qualidade de vida dos homens.

 

Para Reninger López, personal trainer e preparador físico com 20 anos de experiência trabalhando em academias e agora como independente, a diferença no cuidado da saúde física entre homens e mulheres é notória. No caso dele, 80% de seus clientes são mulheres e apenas 20% são homens. No entanto, ele enfatiza a importância do estilo de vida para todos os âmbitos. 

 

Atualmente, Reninger tem 48 anos, não tem problemas de saúde nem sofre de doenças crônicas. Ele é muito ativo e tem energia suficiente para trabalhar, desfrutar de sua família e participar das atividades de sua igreja. É casado com Karla Novella, com quem tem 2 filhos, Joaquín, de 5 anos, e Michela, de 11 meses. Ele atribui sua condição física e boa saúde a um conjunto de hábitos e boas práticas que vem praticando há anos e que compartilha na seguinte entrevista.

  

Desde quando você começou a cuidar da sua saúde e o que o motivou a fazer isso? 

Comecei a cuidar da minha saúde aos 17 anos. Primeiro, o que me motivou a ter uma vida saudável foi eu me ver bem fisicamente e meus amigos me dizerem: “Ei, você está muito bem!” Comecei fazendo calistenia, não tinha dinheiro para academia. Então, eu ia para um parque bem cedo, 5:30 da manhã, e treinava cerca de 1 hora e meia a 2 horas. E todo mundo pensava que eu estava na academia. Lembro que na rua as pessoas se aproximavam e perguntavam em que academia eu ia e que tipo de exercícios eu praticava. E isso foi me motivando a fazer vários tipos de exercícios todos os dias. Comecei a fazer atletismo, surf, artes maciais, me envolvi em tudo, menos futebol. E isso me motivou muito porque comecei a me sentir muito saudável e vi isso como uma oportunidade. Então, comecei a cuidar do meu corpo, dormir cedo, não tomar álcool, parar com os vícios e assim por diante. 

 

Agora minha maior motivação são meus filhos, porque quero vê-los crescer, acompanhá-los em suas aventuras e por mim mesmo também. Quero envelhecer com saúde. Todos nós vamos envelhecer, mas quero chegar à velhice bem, me movimentando, sendo independente. Como um cliente que tenho, que tem 92 anos e é super independente. Ele levanta pesos, está ativo, tem uma plantação e exportação de abacate e está super lúcido. E o exercício ajuda nisso, porque quando uma pessoa não faz exercícios, ela vai perdendo neurônios. Por isso, vemos algumas pessoas mais velhas que têm movimentos desajeitados e, na realidade, não deveria ser assim. Porque há estudos que indicam que, quando você se exercita, seus neurônios vão se regenerando e se conectando cada vez mais e revertendo esse envelhecimento no cérebro.  

 

Quais são os cuidados que você tem para se manter saudável? 

Primeiro, espiritualmente, estudo a Bíblia e tento ter um bom relacionamento com Deus. Segundo, faço exercícios. Terceiro, como saudavelmente. Além disso, tenho uma boa relação com minha família. Isso me ajuda a estar motivado para fazer exercícios, é uma bênção. Agora tenho me cuidado mais com os alimentos, porque com mais de 40 anos tenho que me cuidar mais porque o metabolismo muda. A partir dos 30 ou 32 anos, você tem que lutar com o metabolismo, porque tudo cai muito rápido, vem a perda de músculos, o aumento do tecido adiposo, tudo isso. Então, temos que ser mais conscientes a partir dessas idades. 

 

Que rotina de exercícios você faz? Quantas vezes por semana você exercita? 

Eu realizo atividade física entre as 6h e as 8h da manhã, por causa do meu trabalho, e treino 45 minutos, 5 vezes por semana. Três vezes por semana eu faço treinamento de força, com pesos, e duas vezes por semana faço treinamento de alta intensidade para cárdio e acelerar o metabolismo. O treino de força ajuda muito a não perder músculo porque fisiologicamente as fibras começam a se lacerar ou a se romper, e novas células são formadas a partir daí. Então, pode-se dizer que o treinamento de força serve muito para regenerar seu tecido celular nos músculos. Isso significa que você reverte o envelhecimento. Poderíamos dizer que é uma fórmula para ser mais longevo e permanecer saudável. E o treinamento de alta intensidade é para que seu metabolismo continue queimando mais gordura e ajude seu coração a estar sempre em ótimas condições. É uma boa combinação. 

 

E sobre os exames médicos? Com que frequência você os realiza? 

Todo ano eu faço o básico, exames de sangue para ver o colesterol, a glicose, etc. A questão da medição da pressão arterial e também a questão da próstata nos homens é muito importante. 

 

Por que é importante realizar check-ups médicos periodicamente? E que recomendações sobre isso você dá aos homens que vão começar a praticar atividade física? 

As recomendações que sempre dou é que pelo menos os exames de sangue mais básicos sejam feitos uma vez ao ano. Aos homens, ir ao urologista, sem ter medo. Por exemplo, meus alunos já têm sua agenda para fazer os check-ups. Quando tenho uma pessoa com sobrepeso, eu a envio ao endocrinologista para fazer um check-up de insulina e como podemos atacar isso com um programa. E principalmente se a pessoa tem um estilo de vida sedentário, se é consciente de que não faz exercício, come mal, etc. mais uma razão para ela ter um acompanhamento médico periódico. 

 

Sobre sua alimentação, que tipo de dieta você faz? Quais são os cuidados alimentares que você tem? 

Atualmente, minha dieta é bastante proteína, nada de farinhas refinadas. Consumo muitas gorduras naturais, como abacate, óleo de coco, oleaginosas, frutas secas. Como minha atividade envolve bastante gasto calórico, preciso de mais energia. Além disso, não consumo açúcar, alimentos ultraprocessados, álcool, tabaco, nem nada de refrigerantes. 

 

De seu estilo de vida em geral, que outros hábitos você pratica e considera importantes para cuidar de sua saúde integral, além dos exercícios, da dieta equilibrada e do acompanhamento médico?  

Tento dormir bem, pelo menos 7 horas durante a semana e 8 horas aos finais de semana. Tiro um cochilo de 20 minutos, que é essencial para me ativar novamente. Durante os descansos que tenho no trabalho, vou a um parque e caminho descalço sobre a terra. Amo escutar o canto dos passarinhos, respirar ar fresco, ver as árvores de perto; isso me conecta muito com Deus. Com meu filho, sempre procuro um parque para brincar um pouco. Por isso, também me cuido muito para passar tempo de qualidade com meus filhos, para ter energia para brincar com eles. E isso me ajuda muito, o fato de me desconectar da rotina, dos afazeres do dia a dia, como ir a um parque para ter contato com a natureza e, enquanto isso, tomar sol. Você não precisa sair da cidade, mas isso ajuda muito a depois voltar ao trabalho com energia. Brinco muito com meus filhos, gosto de estar com minha família, também ajuda muito a se relacionar, a ter um tempo de qualidade com a família, o que o ajuda a voltar ao trabalho com força e otimismo. 

 

Por que é importante cuidar da saúde integral? E como esses cuidados influenciam em sua qualidade de vida? 

Acredito que o mais importante é cuidar do que Deus nos deu para administrar. Deus nos deu um corpo perfeito. O corpo humano foi projetado com uma engenharia impressionante. Eu fico maravilhado com isso. Por exemplo, quando eu estudava fisiologia do exercício, entender o que acontece em seu corpo quando você se exercita, com suas emoções durante o exercício, é impressionante o que Deus fez. E primeiro é importante cuidar do que Deus nos deu, cuidar do seu corpo, não apenas o físico, mas também o espiritual, mental, emocional, e, quando tudo estiver equilibrado e em boas condições, as doenças se afastarão. Além disso, se você se cuida, você não gasta com medicamentos, é mais produtivo, tem mais energia, fica mais lúcido. Não somente melhora o aspecto físico, você se vê melhor, mas cuida de suas finanças, tem um desempenho melhor, desfruta mais de seus entes queridos e relacionamentos e pode adorar melhor a Deus, porque está mais disposto. 

 

Que conselhos você daria aos homens para que cuidem de sua saúde física, mental e espiritual? 

Primeiro, ter uma boa relação com Deus. Segundo conselho, fazer exercício ou atividade física, que isso salva vidas, é um remédio natural. Terceiro, cuidar com o que consome, porque, como já dizem por aí, você é o que come. Não exagerar nem comer em excesso, porque normalmente nós, homens, somos mais comilões, o que é natural, porque temos um metabolismo acelerado, mas é preciso ser inteligente ao comer. Beber muita água, manter-se bem hidratado durante a rotina dos exercícios. E, se tiver família, ter uma boa relação familiar. Não ter medo dos acompanhamentos médicos, porque quanto mais você fizer exames, mais tranquilo você estará, porque verá como está seu corpo. E se você se exercitar, terá um impacto muito grande em sua saúde e poderá ver esses resultados nos exames médicos. Filtrar o que vemos, o que ouvimos, de modo que o que passa por nossos sentidos sejam coisas que nos ajudem a melhorar como pessoas. 

 

E quanto ao exercício, o que eu sempre recomendo aos clientes que me dizem “eu só vou durar um mês” é: comece fazendo atividade física duas vezes por semana. Não é necessário ir à academia ou fazer uma hora de exercícios. Há programas de treinamento que você pode fazer em 15 minutos. Está comprovado que se você faz um treino meio intenso por 15 minutos, já muda seu corpo. Quando seu corpo adquirir o hábito, ele pedirá um terceiro dia, e então você aumentará. O ideal é praticar exercícios pelo menos três vezes por semana. Eu recomendaria começar com períodos curtos de 15 a 20 minutos para que a inércia seja quebrada e o corpo se acostume e crie o hábito. Portanto, não há desculpa, pois agora existem programas para fazer em casa. Se você não tem o hábito de se exercitar, comece de menos para mais. 

 

Fonte: Agência Adventista Sul-Americana de Notícias (ASN)

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!